História da cidade

Caldas Novas, história de um arraial que virou cidade. Uma história com seus lances de lenda, coragem e perseverança.

Conta-se que Martinho Coelho de Siqueira, numa de suas conhecidas caçadas de animais silvestres, sentiu de perto a agonia dos seus cães. Em desabalada carreira eles passaram á sua frente como que atiçado por um fogo desconhecido, sendo descoberto a Lagoa Quente do Pirapitinga.

Foto: Luiz Manoel Vasconcelos

Caldas Novas tinha , em 1842, cerca de 200 habitantes. Naquela época  uma das primeiras aspirações das pessoas de uma localidade que estava se formando, era ter uma igreja. Em 1850, foi construída por Luis Gonzaga de Menezes, a igreja matriz, que é a mesma até hoje, tendo sofrido pequenas modificações.

Liderados por Bento de Godoy vieram Orcalino Santos, Victor Ozeda Alla, João Batista da Cunha e outros. Eles chegaram à pequena vila que já começava a virar cidade a partir de 1900. Em 1911, por ordem de presidente do Estado, Urbano Gouveia, no dia 5 de julho nomeou Bento de Godoy como presidente da primeira intendência que foi instalada no dia 21 de Outubro. Desde então, nesta data se comemora o aniversário de Caldas Novas.

Foto: Luiz Manoel Vasconcelos

A história da descoberta das águas termais e do desenvolvimento da cidade podem ser vivenciadas em alguns pontos turísticos preservados na cidade. É o caso do Casarão dos Gonzaga, construído em 1907 para a sede da fazenda do 1º prefeito da cidade e hoje abriga o centro de apoio do artesão. O casarão é o monumento histórico onde o visitante poderá conhecer a história riquíssima de Caldas Novas.

Desde o descobrimento das águas termais de Caldas Novas até a segunda década do século 20,as pessoas tomavam seus banhos termais no córrego das lavras, hoje córrego da Caldas, que corta a cidade. Em 1910 foi construída a primeira casa de banho particular por Victor Ozeda Alla, mas foi em 1920, que o farmacêutico Ciro Palmerston construiu o primeiro balneário público, para atender à procura crescente de pessoas que vinham tratar da saúde. Os visitantes, chamados de ”aquáticos”, pela população local, costumavam se instalar em pequenos hotéis e pensões e se deslocavam para o balneário para tomar os banhos termais.

Com uma completa infraestrutura de hotelaria, bares, restaurantes e clubes, Caldas Novas é um verdadeiro oásis de atrações no interior do Brasil. Com o segundo maior mercado imobiliário de Goiás, com aproximadamente 4.000 unidades habitacionais construídas e centenas em construção, visando atender à grande demanda de turistas, o que faz reforçar sua reputação como a capital mundial das águas quentes.